Reabertura das escolas: como pode proteger o seu filho?

Não é possível pensar no mês de setembro sem nos lembrarmos da reabertura das escolas. O cheiro dos cadernos, o toque para entrarmos nas salas de aula e o entusiasmo de voltar à escola e ver os amigos.

Contudo, mesmo com a vacinação aprovada para os maiores de 12 anos, o início do ano letivo 2021/2022 será, de novo, atípico e exigirá que as medidas de prevenção da COVID-19 continuem a ser aplicadas. Reunimos assim algumas dicas importantes a ter em conta nesta fase.

Atenção redobrada aos sintomas

Primeiramente, é fundamental que, antes do regresso às aulas, confira se o seu filho não apresenta nenhum dos sintomas associados à COVID-19. Se tiver tosse, febre ou dificuldade respiratória, contacte a Linha Saúde 24 — 808 24 24 24 — antes de sair de casa.

Promover boas práticas de higiene

No momento que vivemos, mas não só, é fulcral adotar as melhores práticas de higienização das mãos e de etiqueta respiratória. São gestos simples, mas, se cumpridos por todos, podem fazer com que a reabertura das escolas se desenvolva de forma mais segura. Desse modo, há precauções a transmitir à criança:

Promover boas práticas de higiene

Desse modo, há precauções a transmitir à criança:

  • Ao entrar na escola, deve desinfetar as mãos com uma solução antisséptica de base alcoólica;
  • Deve lavar as mãos frequentemente com água e sabão, respeitando todos os passos recomendados. Este hábito deve ser reforçado antes e depois das refeições e das aulas, após o uso da casa de banho, caso se toque em alguma superfície e depois de tossir ou espirrar;
  • Sempre que se assoar, deve utilizar lenços de papel, deitá-los num caixote do lixo e lavar as mãos de seguida;
  • Para tossir ou espirrar, é importante que se utilize sempre a zona interior do braço. Além disso, deve evitar tocar na cara.

Uma nova conduta para a reabertura das escolas

Este ano, tal como no ano letivo de 2020/2021, manter-se-á um conjunto de procedimentos recomendados e adotados pelas instituições de ensino para proteger a comunidade escolar. Por exemplo:

  • Criação de horários concentrados e desfasados;
  • Circuitos de circulação interna alternados;
  • Segmentação de espaços comuns (como recreios);
  • Separação de mesas e atribuição de uma secretária a cada aluno;
  • Distanciamento físico nas salas de aula de, pelo menos, 1 metro;
  • Ventilação natural dos espaços;
  • Limpeza e desinfeção dos espaços e das superfícies;
  • Cancelar atividades não essenciais em espaços interiores, privilegiando o ar livre.

Uma nova conduta para a reabertura das escolas

Igualmente, há algumas regras que devem ser incorporadas na conduta de todos para que a reabertura das escolas seja bem-sucedida:

  • É obrigatório os funcionários e as crianças a partir do 2.º ciclo do ensino básico utilizarem máscara no interior da escola (dentro e fora da sala de aula);
  • Para as crianças que frequentam o 1.º ciclo do ensino básico, a máscara é fortemente recomendada;
  • No percurso casa-escola-casa, as pessoas a partir dos 10 anos devem usar máscara. Por exemplo, se forem utilizados transportes públicos, em espaços interiores e sempre que não for possível manter o distanciamento físico no exterior;

  • É importante que se evitem as concentrações de alunos nos espaços comuns;
  • Devem respeitar-se os procedimentos de funcionamento dos refeitórios, cumprindo as regras de distanciamento, de higiene e de entrega das refeições. A comida nunca deve ser partilhada;
  • Sempre que possível, deve evitar-se tocar em objetos e superfícies de utilização comum, como corrimões, maçanetas ou interruptores, e lavar as mãos se se tocar;
  • É fundamental que se mantenham sempre as distâncias de segurança.

Reabertura escolas distância

Lidar com a ansiedade

LIDAR COM A ANSIEDADE

Com a reabertura das escolas, é normal que os níveis de ansiedade nos mais novos tenham tendência a ser maiores. Conforme defendido num documento publicado pela UNICEF, é imprescindível que as preocupações de crianças e adolescentes não sejam menorizadas.

Por isso, fale abertamente em casa sobre a epidemia e as suas implicações, incentivando os mais jovens a verbalizar as suas questões. Tente manter a serenidade e, acima de tudo, enfatize a ideia de que o cumprimento das normas é essencial para combater o vírus, principalmente aquando da reabertura das escolas.

Com o esforço de todos, somos mais fortes.

DESCUBRA MAIS