Técnica de Prova: A Visão

| Artigo escrito pela especialista de vinhos Maria João de Almeida

 

 

A apreciação de um vinho faz-se através da visão, do olfacto e do paladar. O vinho é, provavelmente, a bebida mais complexa do mundo, com diversas cores, aromas e sabores que transmitem múltiplas sensações. Decifrá-las é um dos jogos mais interessantes para os nossos sentidos. 

Observar é o primeiro passo para se apreciar um vinho

Através da visão pode verificar junto de uma fonte de luz, preferencialmente natural, a limpidez e a lágrima do vinho:

limpidez - vinho

Limpidez: A limpidez é a ausência de partículas em suspensão no vinho.

Ela indica  sobre o estado de sanidade do produto. O vinho não deve estar turvo ou vedado, nem ter sedimento. Vinhos envelhecidos em garrafas durante muitos anos podem ganhar depósito, que deve ser retirado. Vinhos turvos nunca estão em condições de ser devidamente avaliados.     

...

lágrima - vinho

Lágrima: Quando giramos o vinho no copo, formam-se lágrimas mais ou menos espessas nas paredes do copo.

Quanto mais elevada for a concentração alcoólica, maior o número de lágrimas e mais lentas irão escorrer. Quanto menor o teor alcoólico do vinho, menor será o seu número de lágrimas, e mais rapidamente irão escorrer.

...

Cores do vinho

As cores do vinho podem variar.

  • Os tintos podem ir do vermelho claro ao escuro, quase opaco.
  • Um branco poderá ir do amarelo claro a tons mais torrados.
  • O rosé, do rosa leve salmão ao rosa escuro.

A coloração de um vinho pode variar devido a vários fatores:

  • Vinificação - A intensidade da cor também pode revelar algo. Um vinho pode ter uma cor mais carregada porque as películas estiveram mais tempo em contacto com o mosto. Ou pelo facto de ser um vinho de castas tintureiras (de polpa e película escuras).
  • Estágio - Os vinhos que passam por barricas novas costumam também apresentar maior coloração, porque a madeira nova ajuda a fixar a cor dos mesmos.
  • Clima - Regiões de climas mais quentes tendem a produzir vinhos de cor mais carregada, e regiões mais frescas, com menos dias de sol, dão origem a vinhos mais claros.
  • Envelhecimento - As tonalidades de cor ajudam a perceber a evolução de um vinho. Um vinho branco jovem apresenta na sua cor amarela reflexos esverdeados. Quando envelhecem, ganham um tom palha. Um vinho tinto jovem apresenta na sua cor vermelha tons violáceos. Quando envelhecem ficam mais acastanhados. No rosé, os seus reflexos brilhantes dão lugar a tons mais escuros e alaranjados quando envelhecem.

Mais para descobrir