| Artigo escrito pela especialista de vinhos Maria João de Almeida

 

 

Existem alguns mitos do vinho que prevalecem entre os consumidores de vinho e que não são verdade. Vamos descobrir alguns deles:    

Os mitos do vinho

Saiba mais sobre os mitos do vinho (parte I).

Descubra os mitos do vinho, com Maria João de Almeida na série Vinho na Ponta da Língua no canal do youtube Lidl Portugal.

Um vinho de qualidade é sempre caro?

Vinho de qualidade

Nem sempre, ou seja, tudo depende do que se entende por qualidade. Obviamente, um vinho complexo, estruturado, pensado para durar vários anos, será mais caro do que um vinho simples e frutado, pensado para consumir jovem. No entanto, existem vinhos de qualidade em todas as gamas de preço. Depois, há vários fatores que influenciam o preço.

  • Dois vinhos de igual qualidade, elaborados da mesma forma, mas de diferentes produtores podem variar de preço.
  • Um vinho pode ser mais caro do que outro se, por exemplo, for de um produtor de uma região mais visível, de uma marca mais conhecida, ou ter tido uma produção limitada.
  • Em contrapartida, o vinho pode ser mais barato se for de uma região menos visível, de uma marca menos conhecida e se a sua produção for maior.

Os vinhos espumantes podem chamar-se champanhes?

Vinhos espumantes

Não. Só os vinhos espumantes feitos na região de Champanhe, em França, se podem chamar assim. A região Champanhe tem uma legislação rígida que protege a sua denominação.

Por isso nenhum outro país ou região pode chamar aos seus vinhos espumantes de champanhe. Por exemplo, em Portugal chamamos espumante, em Espanha - Cava, em Inglaterra - Sparkling Wines e na Alemanha - Sekt.

Um copo de vinho por dia faz bem à saúde?

Copo de vinho

Tudo indica que sim, já que vários estudos médicos o comprovam:

  • melhora a função cardíaca,
  • previne complicações cardiovasculares,
  • estimula a circulação sanguínea
  • e mantém a pele mais elástica e vitaminada. 

Tudo isto se deve ao Resveratrol, um antioxidante natural presente no vinho, que neutraliza os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento da pele. No entanto, atenção, beba sempre com moderação.

Os mitos do vinho II

Saiba mais sobre os mitos do vinho (parte II).

Descubra os mitos do vinho, com Maria João de Almeida na série Vinho na Ponta da Língua no canal do youtube Lidl Portugal.

O Vinho tinto deve ser aquecido à lareira antes de ser servido?

Vinho tinto aquecido

Não. Esse hábito surgiu porque no passado os vinhos eram guardados em caves muito frias e, quando eram trazidos para a sala de refeições, vinham muito gelados. Hoje, com casas modernas com temperaturas controladas, nada disso faz sentido.

Para apreciar devidamente o vinho à temperatura correta, veja o nosso vídeo sobre as temperaturas aqui.

Os vinhos com rolha de cortiça são melhores do que os que têm screwcapp?

Vinhos com rolha de cortiça

Nem melhores nem piores. Este tema é sempre polémico, pois há quem encontre vantagens e desvantagens em ambas.  Simplificando a questão:

  • a screwcap, por exemplo, muito utilizada por países do novo mundo para vinhos de consumo mais rápido, é uma tampa de rosca que se torna numa boa alternativa à cortiça, na medida em que evita alguns defeitos do vinho, entre os quais o aroma a rolha. Mas isso não quer dizer que o vinho vedado com este tipo de rolha seja melhor do que outro que utilize cortiça, já que alguns especialistas também apontam a desvantagem à screwcap de impedir que o vinho respire, impedindo assim que evolua dentro da garrafa.    

Quanto mais velho, melhor o vinho?

Mais velho melhor o vinho

Depende do vinho. A maioria dos vinhos vendidos no mercado são pensados para consumir jovens, são frutados e frescos, fáceis de beber, e são essas características que agradam à maioria dos consumidores. Ou seja, se esperarem muito para os beber, estes vinhos vão evoluir e perder essas características.

Por outro lado, se estivermos perante vinhos mais encorpados e complexos, que ainda estão ‘agressivos’ para o paladar, devemos antes esperar alguns anos para deixá-los evoluir e ‘acalmar’ dentro da garrafa. Por estes sim, vale a pena esperar!

E o vinho branco, envelhece tão bem como o tinto?

Vinho branco

A maioria das pessoas acha que os vinhos brancos se estragam com o tempo e os tintos não. Mas não é verdade

Principalmente se pensarmos em vinhos brancos já com alguma complexidade e estrutura, que dão a conhecer aromas de envelhecimento e sabores únicos.

MAIS PARA DESCOBRIR