Alimentação Saudável em Recolhimento

| Artigo escrito pela nutricionista Mariana Abecasis 

 

 

Numa altura em que o reforço da imunidade é mais importante do que nunca, é fundamental cuidarmos da nossa alimentação.

 

É certo que não há alimentos milagrosos que nos tornam imunes ao vírus, contudo focarmo-nos numa alimentação saudável, que equilibra e fortalece o nosso organismo é muito importante.

 

Estar em casa de quarentena obviamente tem um impacto muito grande na forma como nos sentimos, nas nossas rotinas e consequentemente na nossa alimentação. Contudo, se conseguirmos pôr em prática algumas regras simples, vamos sentir-nos melhor não só física, mas também psicologicamente. 

DICAS IMPORTANTES

Inclua na alimentação diária alimentos ricos em vitaminas e minerais:

Como fruta fresca, legumes, sopas e saladas– estes são ricos em anti-oxidantes naturais, substâncias que são os principais responsáveis pela defesa do nosso organismo e das nossas células.

Não esqueça a vitamina C.

É sabido que a vitamina C é uma vitamina que contribui para a prevenção de gripes e constipações.

Apesar de não haver nenhum estudo comprovado entre o corona vírus e a vitamina C, mais do que nunca, importa ter o sistema imunitário o mais fortalecido possível.

Assim, alimentos como laranjas, tangerinas, kiwi, morangos, papaia, couves, brócolos, couve-flor devem estar presentes diariamente.

Opte o mais possível por alimentos reais e evite os alimentos processados.

Devemos basear o mais possível a nossa alimentação em alimentos reais pois são eles que realmente fornecem os nutrientes necessários ao nosso organismo, ou seja, que realmente nos nutrem. 

Alimentos reais são aqueles que consumimos assim como eles se encontram na natureza: fruta fresca, legumes, carne, peixe, marisco, ovos, bagas, sementes, cereais ao natural, leguminosas, tubérculos, leite e ervas aromáticas.

Evite alimentos processados numa base regular.

Os alimentos processados apresentam aditivos artificiais e são muitas vezes considerados calorias vazias – ou seja apresentam uma alta densidade calórica, mas sem que estas calorias tenham interesse nutricional (ricos em calorias, mas não em nutrientes). Além de que estes processados tendem a ser ricos em gorduras de pior qualidade, que têm um efeito pró-inflamatório no nosso organismo. Assim sendo, o seu consumo regular faz com que os nosso organismo entre num processo de inflamação crónica que é prejudicial e debilita o nosso sistema imunitário.

Inclua alimentos compostos de gorduras boas – Ómega 3.

Alimentos como abacate, azeite, frutos secos oleaginosas, peixe e óleos de peixe são ricos em ácidos gordos essenciais ómega 3. Estes têm um efeito anti-inflamatório no nosso organismo, por isso favorecem o correto funcionamento do mesmo.

Não se esqueça da hidratação!

Fora das nossas rotinas, muitas vezes a ingestão de líquidos fica esquecida. Contudo, não devemos descuidar a hidratação que é fundamental para o equilíbrio do nosso organismo no geral e imprescindível num quadro de doença. Devemos  beber 1,5 a 2 l de água por dia.

Se tem dificuldade em beber água, as infusões, tisanas e chás podem ser igualmente uma boa opção.

Mantenha-se ativo!

Fazer exercício físico é fundamental para a saúde física e psicológica. Procure manter alguma atividade física diária, dentro do que esta fase permite.

Isso vai ajudar a manter-se em forma fisicamente, e é também um auxiliar precioso na saúde mental, na gestão do stress e da ansiedade (que também tendem a estar aumentados nesta fase). 

Veja aqui: Exercícios que pode fazer sem sair de casa

Procure ter uma base equilibrada, mas sem fundamentalismos!

Desde que seja exceção e não regra, fazer um disparate de vez em quando, também é saudável e ajuda a nivelar o nosso humor.

MAIS PARA DESCOBRIR TODOS OS DIAS