O seu filho tem pele sensível? Saiba que protetor solar usar

O verão está a chegar e, com ele, as preocupações dos pais de crianças com pele sensível multiplicam-se: “que protetor solar é o mais adequado para a pele do meu filho?”; “quanto dinheiro vou ter de gastar para manter a pele da criança protegida do sol?”; “será que é melhor evitar de todo fazer atividades ao sol com o/a meu/minha filho/a?”.

Foi a pensar nestas e noutras preocupações semelhantes que o Lidl lançou a linha Infantil Sensitive, da gama de produtos solares Cien Sun (que, além de protetores solares, contempla ainda produtos pré e after-sun). Estes protetores solares foram pensados para lhe facilitar a vida a si, pai ou mãe, mas, sobretudo, para proteger a sua criança e proporcionar-lhe momentos de diversão ao ar livre, em total segurança.

O meu filho tem pele sensível. E agora?

Esta é a questão que imaginamos que fique a pairar na cabeça de muitos pais quando saem com a sua criança da consulta em que a pele sensível lhe foi diagnosticada. Certamente, o médico que fez o diagnóstico partilhou um conjunto de recomendações que fará logo os pais começar a imaginar a conta da farmácia, dali para a frente.

No entanto, cuidar da pele sensível de uma criança - particularmente, protegê-la do sol, no verão - não tem de ser necessariamente muito dispendioso. Porém, antes da solução, atentemos nas especificidades da pele da criança e nos sinais a que os adultos deverão estar alerta.

Diferenças entre a pele da criança e a pele do adulto

A pele da criança é, naturalmente, mais sensível do que a pele do adulto, pelo que este fator deve ser tido em conta na hora de escolher os produtos para a manter hidratada e saudável, nomeadamente, o melhor protetor solar infantil.

De facto, além de a pele das crianças ser mais fina do que a dos adultos, o seu sistema imunitário ainda não se encontra totalmente desenvolvido, pelo que a capacidade de a sua pele lidar com os agentes potencialmente irritativos é menor. Além disso, e no que diz respeito à exposição solar, o processo de pigmentação da pele, que ajuda a protegê-la dos raios solares, ainda está pouco desenvolvido, tornando a pele da criança mais favorável às queimaduras solares.

No entanto, algumas crianças têm a pele particularmente sensível, o que significa que a sua pele é propensa a desenvolver alterações ou reações após situações quotidianas aparentemente normais (como é o caso do uso de produtos de limpeza da pele). Entre os produtos mais propícios a irritar a pele infantil encontramos:

  • produtos perfumados para lavagem de roupa (detergentes e amaciadores);
  • produtos dermatológicos com perfume (sabonetes, cremes, champôs, entre outras loções);
  • alguns produtos orgânicos/naturais à base de plantas;
  • produtos que emanem vapores ou perfumes para o ar, tais como velas, incensos, purificadores de ar, etc…;
  • pelos de animais;
  • cascas de citrinos e frutos exóticos.

8 sinais de que uma criança tem a pele sensível

Quando a pele de uma criança é mais sensível do que o normal, há vários sinais que devem alertar os pais:

8 Sinais de que uma criança tem a pele sensível

A pele da criança reage constantemente àquilo em que toca

A pele da criança está constantemente seca e áspera

A pele da criança apresenta escamas ou gretas

A criança apresenta manchas vermelhas na pele

A criança é muito sensível à temperatura

A pele da criança reage à roupa ou a produtos como cremes ou sabonetes

A criança apresenta assaduras que não são causadas por humidade ou aperto

A pele da criança apresenta-se inflamada, causando-lhe comichão (prurido)

Caso a pele do/a seu/sua filho apresente frequentemente alguns destes sintomas, recomendamos que consulte o seu médico, para obter um diagnóstico correto e poder fazer uma adequada gestão da situação.

Como cuidar da pele sensível das crianças?

Lidar com a hipersensibilidade da pele da sua criança pode, à primeira vista, parecer mais complicado do que efetivamente é. Na verdade, prevenir a irritabilidade da sua pele passa por alguns hábitos simples, tais como:

  1. Vesti-lo e fazer-lhe a cama com roupas em tecidos naturais respiráveis, como é o caso do algodão;
  2. Remover todas as etiquetas da sua roupa;
  3. Evitar o uso de detergentes com perfumes e corantes na lavagem da roupa;
  4. Evitar o uso de roupas e fraldas demasiado apertadas;
  5. No caso de crianças que ainda usam fralda, recomenda-se a sua troca frequente, para manter a zona genital limpa e seca;
  6. Dar banho à criança com água morna, evitando banhos longos, e secá-la com uma toalha macia, sem esfregar a pele;
  7. Evitar o uso de produtos dermatológicos com óleos minerais, parafinas, silicone, microplásticos ou vaselina, bem como de cremes gordos e de pó-de-talco;
  8. Proteger a criança de mudanças bruscas de temperatura;
  9. Proteger adequadamente a pele da criança contra as radiações ultravioleta;
  10. Usar produtos para a pele (tais como cremes, champôs ou sabonetes) especificamente concebidos para pele sensível.

Como proteger as crianças do sol? Das roupas ao protetor solar

De acordo com a Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP), para proteger a pele das crianças da radiação solar, deve-se:

  • Evitar completamente a exposição solar sempre que os Índices UV (que podem ser consultados no site do Instituto Português do Mar e da Atmosfera) estejam superiores a 8, o que acontece, geralmente, nos meses de verão, entre as 11h e as 16h;
  • Garantir a correta hidratação da criança, tendo sempre disponível água fresca para seu consumo;
  • Vestir às crianças roupas frescas, mas de mangas compridas;
  • Equipar as crianças com chapéu (preferencialmente com abas) e óculos de sol com filtro de proteção contra a radiação ultravioleta;
  • Aplicar-lhes sempre protetor solar com um Fator de Proteção Solar (FPS) 50+.

Crianças e adultos podem usar o mesmo protetor solar?

Segundo a dermatologista Manuela Cochito, aplicar protetores solares de adulto na pele das crianças não é, de todo, uma opção adequada. Em primeiro lugar, esta prática aumenta o risco de desenvolver alergias (risco que é ainda maior no caso de crianças com pele sensível). Segundo, as células da pele da criança são ainda imaturas, não tendo a capacidade de efetuar a reação química necessária para que o protetor solar cumpra a sua total eficácia.

Qual o melhor protetor solar para crianças com pele sensível?

Na hora de escolher o protetor solar para o seu filho, o primeiro aspeto que deve, então, ter em conta é que o produto deve ser especificamente formulado para crianças. Além disso, os melhores protetores solares para crianças, segundo ainda a SPP devem:

  • ser de largo espetro, ou seja, proteger a pele dos raios UVA e UVB;
  • ter um fator de proteção solar 50+;
  • ser resistentes à água e à fricção (o que não significa que não necessitem de ser reaplicados frequentemente;
  • ser hipoalergénicos.

Por fim, o protetor solar não é uma exceção à regra de escolher produtos especificamente concebidos para crianças com pele sensível. Este é o caso da loção solar infantil Cien Sun Sensitive, um produto vegan disponível em creme e em spray. Para aumentar a sua eficácia e segurança em peles sensíveis, da composição deste protetor solar não fazem parte álcool nem um ingrediente que, embora seja seguro, tem vindo a ser apontado como potencialmente alérgenico - o filtro UV octocrileno.

O que fazer se o meu filho apanhar um escaldão?

Se, para os adultos, isto é válido, para as crianças, a validade é ainda maior: os escaldões devem, a todo o custo, ser evitados, uma vez que as queimaduras solares podem resultar em danos irreversíveis para a pele, cujas consequências, mesmo que não se manifestem na hora, irão, um dia mais tarde, fazer-se sentir.

No entanto, caso haja o azar de o seu filho apanhar um escaldão deverá, desde logo evitar a sua exposição ao sol durante o resto desse ano, de forma a não agravar os danos. Além disso, para aliviar os sintomas da queimadura, deverá:

  • dar à criança um banho frio ou, em alternativa, aplicar compressas húmidas e frescas na pele queimada;
  • aplicar gel de aloé vera na área queimada;
  • aplicar creme hidratante na pele, de modo a promover a sua reidratação.

Caso a queimadura solar resulte na formação de bolhas de ar, deverá levar a criança ao médico.

Porque mais vale prevenir do que remediar, deixamos-lhe o nosso guia de cuidados a ter com o sol, no caso das crianças.

Mais para descobrir