5 dicas que o irão ajudar a escolher vinhos no restaurante

Quando vamos a um restaurante, são várias as cartas de vinho que podemos encontrar.
A clássica é dividida por regiões, mas agora há também quem o faça por estilos de vinho, aromas ou características. É tudo uma questão de preferências e de imaginação, mas o que realmente interessa é que as informações contidas nestas listas sejam suficientes e bem escritas de forma a esclarecer o cliente de forma organizada e apelativa. Se o restaurante tiver um escanção/sommelier (responsável pelo serviço de vinhos) tanto melhor, a vida do cliente vai ficar muito mais facilitada. Mas, se não tiver alguém que lhe dê uma ajuda, veja o que deve ter uma boa carta de vinhos e como se orientar no restaurante.

1. Veja a carta de vinhos com atenção

Organização, boa apresentação e diversidade da oferta são atributos essenciais numa boa carta.
Veja com atenção se a carta inclui informações importantes sobre os vinhos:

  • o nome da marca e do produtor;
  • o ano de colheita;
  • as castas;
  • as notas de prova;
  • as suas características;
  • o preço.

A oferta de alguns vinhos estrangeiros será uma mais-valia, na medida em que poderá desafiar o seu paladar pedindo vinhos aos quais não está habituado.
Todas estas informações são úteis na hora de escolher.

2. Procure na carta se existe a opção de vinho a copo

Um serviço que se instalou em restaurantes e wine bars que facilita a prova de vários vinhos. Além disso, se for ao restaurante com um grupo de amigos, cada um poderá beber o que lhe apetecer com o prato que escolheu na ementa.

3. Repare se o restaurante tem vinho da casa

Atualmente, com a quantidade de vinhos de boa relação qualidade/preço que surgiram no mercado, estes vinhos conseguem muitas vezes surpreender.
Se a lista de vinhos desse restaurante for boa, o vinho da casa será igualmente bom. O vinho da casa é, em suma, o vinho de combate do restaurante: bom e a um preço acessível.

4. Opte por uma boa relação qualidade/preço

Já se sabe, a questão dos preços dos vinhos também é assunto polémico, até porque a maioria dos restaurantes tende a exagerar nessa área. Não podemos esperar pagar no restaurante o mesmo que se paga pelo mesmo vinho no supermercado ou na garrafeira (geralmente o restaurante leva o dobro, o que é razoável). Mas se o restaurante carregar nos preços do vinho, e se estiver na dúvida, prefira sempre o vinho de melhor relação qualidade – preço.

5. Escolha restaurantes com "taxa de rolha"

Se não quer arriscar, escolha restaurantes com ‘taxa de rolha’.
Para aqueles que não arriscam em provar vinhos que não conhecem, ou pretendem beber algo que não existe na carta de vinhos, há ainda restaurantes que praticam a ‘taxa de rolha’. Ou seja, permitem que o cliente leve o seu próprio vinho mas cobram o serviço que pode ser mais barato ou mais caro, conforme o restaurante.
Informe-se junto do restaurante e veja se vale a pena levar a sua garrafa.

Mais para descobrir